Conselho Regional de Química XII Região

O MinistA�rio da Agricultura, PecuA?ria e Abastecimento (Mapa) publicou em marA�o duas instruA�A�es normativas (INs) que estabelecem regras para o aproveitamento de pA?s de rocha a�� conhecidos como remineralizadores a�� em atividades agrA�colas. Os textos derivam de discussA�es do Grupo de Trabalho Interministerial para NormatizaA�A?o do Uso de PA?s de Rocha na Agricultura.

A IN 05 designa especificaA�A�es, garantias e tolerA?ncias, alA�m de definir registro, embalagem, rotulagem e propaganda de remineralizadores para fins agrA�colas. JA? a IN 06 estabelece requisitos para classificaA�A?o, registro, autorizaA�A?o de comercializaA�A?o, avaliaA�A?o da viabilidade e eficiA?ncia agronA?mica.

Coordenado pelo MinistA�rio de Minas e Energia (MME) e instituA�do em 2012, o grupo de trabalho A� composto por representantes do MinistA�rio da CiA?ncia, Tecnologia e InovaA�A?o (MCTI), Mapa, Departamento Nacional de ProduA�A?o Mineral (DNPM), Empresa Brasileira de Pesquisa AgropecuA?ria (Embrapa), do ServiA�o GeolA?gico do Brasil (CPRM) e Universidade de BrasA�lia (UnB).

Reminalizadores possibilitam ganho de fertilidade quando aplicados na terra, por oferecer macro e micronutrientes para as plantas. “Em funA�A?o de sua baixa solubilidade, eles possuem a vantagem de permanecerem por mais tempo no solo, liberando gradualmente os nutrientes para as lavouras”, explica a coordenadora de Recursos Minerais do MCTI, TA?ssia Arraes. “Hoje, grande parte dos fertilizantes convencionais solA?veis A� importada. A dependA?ncia externa brasileira para insumos agrA�colas essenciais como potA?ssio, nitrogA?nio e fA?sforo A� da ordem de 90%, 70% e 50%, respectivamente.”

Segundo a analista Cristina Ferreira, diversos experimentos tA?m comprovado a eficiA?ncia agronA?mica dos remineralizadores. “Visitamos algumas lavouras de soja no sudoeste goiano e observamos ganhos significativos na produtividade quando houve uso exclusivo desses insumos”, conta.

Fonte: MCTI.