Conselho Regional de Química - 12ª Região

     Estudo realizado pelo Instituto de Química da Universidade Federal de Goiás, coordenado pelo Prof. Dr. Nelson Roberto Antoniosi Filho, revela que a cera do ouvido pode ajudar no diagnóstico de câncer. A pesquisa foi realizada com amostras de 102 voluntários e foi possível identificar 27 substâncias que, se estiverem na cera do ouvido, indicam a presença da doença no organismo.
     A pesquisa apontou, também, que o exame consegue detectar a doença em estágio inicial, o que viabiliza a capacidade de cura, e, por se tratar, de um teste simples, os pesquisadores acreditam que a análise da cera de ouvido pode se tornar comum, como o exame de sangue que é utilizado para identificar diferentes enfermidades.
     A descoberta conhecida como Nova Fronteira no Diagnóstico, foi publicada na Scientific Reports, uma das mais renomadas revistas especializadas no mundo. O estudo demonstrou que a cera além de ser uma barreira de proteção contém informações importantes do corpo humano. Segundo o coordenador da pesquisa: “a cera é um produto de secreção que concentra aquilo que é uma impressão digital do que as nossas células produzem, então, quando a cera é produzida, ela tem ali componentes que podem ter sido produzidos por células saudáveis e por células cancerosas”. (Fonte: G1.com.br/goias)